Faciplac - Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central
Evento em destaque:
 
FACIPLAC

Depoimento da Aluna Danielle Arabi Lopes do Curso de Medicina
Sobre uma experiência vivida em Moçambique - África
(Projeto de Extensão - Outubro de 2013)

Leia mais

Galeria de fotos

COORDENAÇÃO

Profa. Glória Maria Andrade Cavalcanti Araújo

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba (1969) e mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (1980 - 2003). Foi Professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (1980-2009) e Diretora Científica da Associação Médica de Brasília (2009 – 2011). É Coordenadora do Curso de Medicina das Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central - FACIPLAC. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Controle de Infecção Hospitalar e Administração Hospitalar.
 

http://lattes.cnpq.br/0325233862102117

Perfil do Curso
 

As Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central – FACIPLAC, aprovadas pela Portaria MEC nº 368, de 19 de maio de 2008, publicada no DOU em 20/05/08, Seção I, oferece o Curso de Medicina, reconhecido pela Portaria MEC 2.377, de 29/12/10, publicada no DOU em 30/12/10, Seção I, com 40 (quarenta) vagas semestrais, ministrado no Campus II do Gama.
O curso foi idealizado para formação de profissionais com atitude ética, humanista e consciente da responsabilidade social, com capacidade para compreender e atuar nas urgências, lidar com os múltiplos aspectos das relações profissionais com ênfase na relação médico-paciente e capacidade para atuar em equipe interdisciplinar e multiprofissional.


Objetivos do Curso de Medicina


São Objetivos Institucionais do curso de Medicina:

  • A Formação do Médico generalista, num currículo terminal em nível de graduação, que seja capaz não só de diagnosticar e tratar doenças, mas, sobretudo, de promover saúde. Que tenha visão ampla dos problemas de saúde, de sua interdisciplinaridade e interdependência (enfoque multidimensional de no setor de saúde). Que seja apto para a inserção no mercado de trabalho e atue como agente de transformação no âmbito de suas competências a serem adquiridas ao longo do curso de graduação.
  • A realização de pesquisas e estímulo às atividades criadoras;
  • A extensão do ensino à comunidade, mediante cursos e serviços;
  • O intercâmbio com instituições congêneres;
  • Integração com a rede de serviços que compõe o Sistema Único de Saúde (SUS) e outros complementares, no sentido de otimizar estratégias de ensino;
  • A participação no processo de desenvolvimento regional da sociedade brasileira;
  • A promoção de atividades de iniciação científica;
  • Condução do aluno na aquisição do conhecimento exigido;
  • Indução ao aluno para estabelecer hábitos essenciais;
  • Condução do aluno para adquirir habilidades básicas;
  • Indução ao aluno para compreender os princípios profissionais e éticos.


Histórico do Curso de Medicina

A criação de qualquer curso de nível superior em nosso país deve ensejar algumas preocupações, sem as quais a natureza essencial dos objetivos que se pretende cumprir, ficará prejudicada. Neste sentido, a criação de uma nova faculdade de medicina adquire contornos de um grande desafio, em função dos múltiplos aspectos que tal projeto encerra.
Para responder a este desafio em primeiro lugar é preciso levantar algumas premissas que são fundamentais:
Qual ou quais os benefícios que uma nova faculdade de medicina traria a realidade de saúde do Distrito Federal?
Quais os eventuais inconvenientes de tal projeto para o Distrito Federal?

  • Sucintamente, tentaremos responder às duas questões levantadas.

Qual ou quais os benefícios que uma nova faculdade de medicina traria à realidade de saúde do distrito Federal?

  • Fonte permanente de recursos humanos para área de saúde do Distrito Federal. Na área da saúde, a escassez de recursos humanos é considerada crítica, especialmente nas cidades satélites e entorno do DF.
  • Fonte de capacitação e treinamento para os recursos humanos já existentes na rede de saúde do Distrito Federal.
  • Articulação interinstitucional com a rede de serviços do Distrito Federal no sentido de dar respostas às enormes demandas, em termos de atendimento médico, especialmente nas cidades satélites.
  • Articulação interinstitucional com as demais instituições de nível superior do Distrito Federal no sentido de preencher lacunas no setor de saúde e em outros setores com interface com o setor saúde, ainda não preenchidas.
  • Fomentar a produção científica na área da saúde e nas áreas afins.
    Formação de um profissional médico com um novo perfil que alie um sólido conhecimento médico lastreado na ética médica e com compromisso social, integrado à comunidade que o cerca.
  • Propiciar a entidades governamentais e não governamentais massa crítica adicional para formulação de políticas públicas nas àreas de saúde.
  • Gerar empregos diretos e indiretos, nas áreas da Saúde e áreas afins.
    Face aos indicadores citados anteriormente, está claro que uma única faculdade de ciências de saúde existente no DF não é mais capaz de atender às necessidades de recursos humanos da rede de saúde pública do DF.

Portanto, existem fartas razões, respaldadas em estatísticas irrefutáveis que apontam para a necessidade de uma nova faculdade de medicina em nossa capital. Entretanto, o que se propõe não é apenas uma outra faculdade de medicina e sim uma nova faculdade de medicina. Que além de atender às necessidades sociais da comunidade possa formar também um profissional apto a desempenhar sua função no próximo milênio, num mundo marcado por profundas mudanças e em constante processo de transformação.


Perfil do Egresso

O perfil do egresso do curso de medicina é o de um médico generalista, capaz não só de diagnosticar e tratar doenças, mas sobretudo de promover saúde, compreendendo, integrando e aplicando os conhecimentos básicos na prática clínica. Estará apto para a inserção no mercado de trabalho para atuar como agente de transformação no âmbito de suas competências a serem adquiridas ao longo do curso de graduação.


Perfil Profissional do Médico
Profissionais com princípios éticos baseados no interesse de servir aos pacientes com honestidade e respeito, promovendo justiça social no sistema de saúde. Compromisso com a competência profissional, conhecimento científico atualizado que os capacitem para atuar na medicina pública ou privada, tomando decisões que promovam o bem estar e a saúde dos pacientes, sem conflitos de interesses que afetem o equilíbrio do relacionamento médico- paciente e multiprofissional. Profissionais que participem em projeto de pesquisa que estimulem o ensino e que reflitam sobre as necessidades da comunidade local e do entorno do DF. Responsabilidade de usar o conhecimento para ajudar ao próximo como uma dádiva divina.
Topoarrow up
arrow go Matriz Curricular
arrow go Corpo Docente
arrow go Eventos
arrow go Trote Solidário
arrow go PPC - Projeto Pedagógico do Curso
Copyright © 2014 Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central. Todos os direitos reservados.